E então, eu sumi.

                          


E então eu sumi, e não foi a coisa mais fácil a se fazer. Talvez uma das mais difíceis.

Sumi dessa minha vontade louca de querer sempre viver na mesmice. Sumi desse meu medo, que sempre me persegue, seja onde for. Não quero falhar
Sumi das pessoas que não valem a pena —  aquelas que só pensam bobeira — e que acabam te prejudicando. Sumi daqueles que só me fazem rir, que nunca me instigam a nada. Que estão ali por estar, apenas para preencher um pouco das lacunas da solidão. Lacunas  preenchidas apenas por alguns momentos passageiros e rápidos. Nada somava.
Eu não as odeio. Nunca. Adoro quando me tiram sorrisos e gargalhadas. Mas eu quero mais. Sempre quis.
Quero sentar numa praça qualquer, com meu acompanhante a falar sobre massas cinzentas e sobre astrologia, talvez um pouco de filosofia e história, sobre livros que viraram filme mas que não valeram de nada. Quero discutir sobre tudo. Quero alguém que fale-me dos seus sonhos e que me ouça quando eu assim o quiser fazer. E num senso, ambos se apoiarem para esta causa. Chegar lá.
Será apenas eu, aquele ser e o céu azul. Ou cinza. Tanto faz. Nunca tive medo de me molhar. Sumi também de pessoas rasas, que morrem de medo de pessoas que transbordam. Essas não valem a pena.
Sumi dessa minha vontade louca de querer te procurar, quando era preciso estar tentando me achar nesse mundo louco. Sumi de palavras já ditas, que não foram bem ouvidas; principalmente daquelas declarações diárias.
Sumi, porque é preciso sumir vez ou outra, e quando perguntam-me se é fácil, volto a dizer que não.
Nunca é fácil controlar os impulsos e desejos. É se calar quando se quer gritar. É sorrir quando se quer chorar. É nada dizer, quando tudo que quer ser dito é "estou com saudades".
Sumir é mesmo complicado.
Sumir te faz aprender, mesmo que tão difícil. É quando você some, que você descobre que cinco mil amigos no facebook não significam nada. Nada mesmo. Só um passatempo quaisquer.
É quando desaparecemos do mapa, que realmente sabemos se fizermos falta.
Sumir é estratégia. A mais dura estratégia. É respostas para aquelas perguntas bobas feitas antes de dormir, da qual você morre de medo de saber.
É saber que mesmo tão doloroso, sumir é necessário e valerá a pena.
É, eu sumi. E sabe de uma? Continuarei sumindo.


16 comentários:

  1. Tá certa. Nessa vida nós precisamos aprender a sumir de vez em quando. Certos relacionamentos não fazem bem, muito pelo contrário, nesses momentos o melhor a fazer é sumir. Ótimo texto!!

    ResponderExcluir
  2. As vezes é bom sumirmos para enxergar determinada situações com outros olhos! Amei o texto
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  3. Adorei o tema, sumir às vezes é bom, dá-nos tempo de descubrirmos quem somos realmente e do que precisamos para ser felizes.
    O texto ficou muito bom, parabéns.
    Beijinhos!

    http://euliaeleio.blogspot.pt/?m=1

    ResponderExcluir
  4. Sumir...Sim eu também tenho vontade de sumir, e acho que sumir de vez em quando é necessário...Amei o Texto...Perfeito!Estou aguardando o livro...Bjs

    ResponderExcluir
  5. Caprica, que texto arrasador, amei viu! Eu sumo mesmo e você tem rasão, não é fácil, mas não adianta aceitar o pouco ou viver rodeado de pessoas rasas. Essas que nos fazem mal e que tiram nosso brilho temos que mandar pra bem longe. Vou compartilhar um trecho. Amoadorei!
    Beijos, Mia

    miaestanteliteraria.wordpress.com

    ResponderExcluir
  6. Amei!!! Pessoas que transbordam são as melhores, se jogam de cabeça, vivem intensamente... Enfim, amo sua escrita, cê sabe né?

    Xêro <3

    ResponderExcluir
  7. Ei moça, tava te devendo um comentário, porque adorei muito esse texto, de verdade, você escreve muito bem e seu texto me fez pensar em certas coisas tão verdadeiras, parabéns...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Lorde!
      Adoro quando as pessoas se identificam com meus textos. <3

      Excluir
    2. Obrigada, Lorde!
      Adoro quando as pessoas se identificam com meus textos. <3

      Excluir

Tecnologia do Blogger.